Archive Page

Sobre A Tireoide

abril 7th, 2022 | admin |

A glândula da tireoide é um órgão em forma de borboleta localizado na base do pescoço, na frente da traqueia. Ela é a controladora mestre do metabolismo, exercendo um papel essencial na nossa saúde e bem-estar.1,2 Ela produz, armazena e expele hormônios da tireoide no sangue, regulando o metabolismo.2 Estes hormônios são essenciais para o funcionamento adequado de todos os tecidos e órgãos do corpo.3 Eles permitem que o nosso corpo use suas reservas de energia eficientemente, controlando a temperatura e permitindo que nossos músculos trabalhem adequadamente.3


Quem corre esse risco?

Disfunções da tireoide são bastante comuns no mundo inteiro, especialmente em mulheres.4 A propensão maior das mulheres em relação à dos homens ainda não é completamente compreendida, mas o que se sabe é que as mulheres não só são mais propensas a ter distúrbios da tireoide no geral, mas também têm mais chances de desenvolvê-los mais cedo na vida4

Certos momentos na vida da mulher tornam-na mais suscetível a desenvolver problemas na tireoide. Esses momentos incluem:4

Não importa o seu sexo, você corre riscos de apresentar disfunções da tireoide se você:4

Pessoas que passaram por tratamentos de radiação ou cujos pescoços foram expostos a raios X também são mais propensas a sofrer de problemas de tireoide.4 

  1. American Thyroid Association. Thyroid blood tests and general well-being, mood and brain function. Available at c. Last accessed March 2022
  2. American Thyroid Association. Hyperthyroidism. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/ata-hyperthyroidism-brochure.pdf. Last accessed March 2022
  3. American Thyroid Association. Hypothyroidism. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/ata-hypothyroidism-brochure.pdf. Last accessed March 2022
  4. Everyday Health. Are you at risk for thyroid disease? Available at http://www.everydayhealth.com/thyroid-conditions/evaluating-your-thyroid-disease-risk.aspx. Last accessed March 2022

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022

Impacto da deficiência de iodo

abril 7th, 2022 | admin |

Distúrbios de tireoide são algumas das doenças mais frequentes do mundo, com cerca de 1.6 bilhões de pessoas em risco.1 O iodo é uma parte essencial dos hormônios da tireoide e, portanto, é um fator importante no desenvolvimento de hipotireoidismo (tireoide com atividade insuficiente) e hipertireoidismo (tireoide hiperativa).1 


Por que o iodo é importante?

O iodo é essencial para a produção dos hormônios da tireoide, para o desenvolvimento fetal e infantil, além de ser um nutriente crucial para saúde adequada em todas as fases da vida.2 Como o nosso corpo não produz iodo, ele deve ser obtido regularmente com uma dieta saudável.2 

O iodo é o componente essencial na produção dos hormônios da tireoide tiroxina (T4) e triiodotironina (T3).3 Os hormônios da tireoide ajudam o corpo a usar energia de maneira otimizada, a permanecer aquecido e a manter o cérebro, o coração, os músculos e outros órgãos trabalhando da maneira como eles deveriam.4 Os hormônios da tireoide – e, portanto, o iodo – são essenciais para o crescimento fetal, a maturação dos ossos e o desenvolvimento do cérebro.2 

Uma campanha global para iodar o suprimento do sal em quase todos os países fez com que cerca de 68% dos lares agora usem sal iodado.5  Apesar disso, cerca de 40% da população global continua em risco de sofrer com a deficiência de iodo.6

De quanto iodo você precisa?

Uma colher de chá de iodo é tudo que você necessita na sua vida; no entanto, já que o corpo não pode armazenar iodo por muito tempo, pequenas quantidades são necessárias regularmente.2 A maioria das pessoas pode tolerar grandes quantidades de iodo sem efeitos adversos. Uma ingestão de mais de um miligrama por dia pode ser prejudicial.2

A necessidade diária de iodo muda ao longo da vide de uma pessoa:4

Observação: Bebês correm um risco elevado de deficiência de iodo porque sua necessidade do componente e hormônios da tireoide em relação ao seu peso é muito mais elevada do que em qualquer outro momento da vida.8 Não é recomendado dar sal extra aos bebês, sendo assim, eles dependem muito da mãe como fonte de iodo. Portanto, a Associação Americana de Tireoide recomenda que todas as lactantes tomem um suplemento contendo pelo menos 150 microgramas de iodo por dia, juntamente com outras fontes de iodo, para garantir que mãe e filho atinjam suas respectivas necessidades diárias, conforme mencionado acima.9

Ao planejar um bebê, engravidar ou amamentar, você deve elevar seu consumo de iodo na dieta.4 Mesmo uma falta leve de iodo durante a gravidez pode ter efeitos sobre o desenvolvimento e o parto do bebê.2 A deficiência grave de iodo durante a gravidez pode levar ao aborto espontâneo ou ao parto de um natimorto.3 Ela também pode levar a anormalidades congênitas, como cretinismo – que é uma condição grave e irreversível de retardo mental.3 O efeito mais grave, mas menos visível, da deficiência de iodo é uma redução de inteligência que pode afetar a vida familiar, escolar e profissional.3

Fale com o seu médico sobre quais suplementos de iodo você pode precisar ou te beneficiariam.

Como satisfazer sua necessidade de iodo

Frutos do mar são uma boa fonte porque o oceano é rico em iodo.2 Embora o teor de iodo seja menor do que nos frutos do mar, ovos, carne e derivados do leite são mais ricos do que a maioria dos alimentos de origem vegetal. Qualquer sal usado em casa deve ser iodado.2 Para garantir o consumo suficiente para bebês no período de desmame, o teor de iodo em fórmulas ou alimentos caseiros deve ser considerado.8

Fontes comuns de iodo na dieta:7

O melhor método de prevenir a deficiência de iodo é a suplementação dietética no longo prazo com sal iodado – estratégia recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A OMS recomenda um consumo de sal de menos de 5 gramas por dia (equivalente a 1 colher de chá de sal por dia) para impedir doenças cardiovasculares.10 Uma colher de chá de sal iodado contém cerca de 400 microgramas de iodo.Para suprir a demanda total de iodo, você não deve comer mais sal – e sim consumir outros alimentos ricos em iodo.2

Deficiência de iodo e suas consequências para a saúde

A deficiência crônica de iodo pode ser prejudicial para a saúde.7 Uma falta de iodo leva a reduções nos níveis de hormônios da tireoide e é a causa mais comum de uma tireoide insuficientemente ativa (hipotireoidismo).1,7 O efeito visível e inconfundível da deficiência de iodo é o aumento da tireoide, conhecido como o bócio.7 Para prevenir consequências graves para a saúde, é importante reconhecer os sinais iniciais de deficiência de iodo.

Aqui, você pode ler mais e descobrir como se formam o bócio e nódulos – além de como reconhecê-los e tratá-los.

Os seguintes sintomas podem indicar uma falta de iodo:5,7

Em crianças:

As consequências mais graves da deficiência de iodo ocorrem em mulheres grávidas ou lactantes, bem como em crianças. Níveis suficientes de iodo e de hormônios da tireoide são essenciais para o desenvolvimento regular do cérebro e do sistema nervoso. O distúrbio mais grave causado pela deficiência séria de iodo durante a gravidez é o cretinismo, uma condição que retarda o crescimento físico e mental.7 No entanto, mesmo a deficiência leve de iodo durante a gravidez pode ser associada a baixos níveis de inteligência em crianças.7

Manter o nível de iodo adequado é a melhor maneira de impedir essas complicações, bem como o nascimento de natimortos, abortos espontâneos ou crescimento insuficiente.7

Websites úteis

http://www.iccidd.org

– O Conselho Internacional para o Controle de Distúrbios por Deficiência de Iodo  é uma organização não governamental sem fins lucrativos para a eliminação sustentável da deficiência de iodo e a promoção da nutrição ideal de iodo no mundo)

http://www.unicef.org/progressforchildren/2007n6/index_41509.htm

– O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) publicou o estudo “Progresso para Crianças”, uma revisão estatística que documenta o progresso em direção às “Metas de Desenvolvimento do Milênio”.

http://www.thyroid.org/patients/patient_brochures/iodine_deficiency.html – Informações para pacientes sobre a saúde da tireoide publicadas pela Associação Americana de Tireoide

  1. Khan A, Khan MM, Akhtar S. Thyroid disorders, etiology and prevalence. J Med Sci 2002; 2: 89–94. http://www.scialert.net/fulltext/?doi=jms.2002.89.94&org=11. Last accessed April 2022
  2. Nutrition Australia. Nutrition fact sheet: iodine. Available at https://nutritionaustralia.org/fact-sheets/iodine-facts/. Last accessed February 2021
  3. Revista Contexto & Saúde. Estado Nutricional de Iodo na Gestação e sua Influência na Saúde do Binômio Mãe-Filho. Available at https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoesaude/article/view/9775/6590#:~:text=Entre%20as%20consequ%C3%AAncias%20relacionadas%20%C3%A0,et%20al.%2C%202016. Last accessed April 2022
  4. Institute of Medicine of the National Academies. Dietary reference intakes for vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromium, copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium, and zinc. Washington, DC: National Academy Press, 2001.
  5. American Thyroid Association. Hypothyroidism. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/ata-hypothyroidism-brochure.pdf. Last accessed April 2022
  6. United Nations. Sixth report on the world nutrition situation. Available at http://www.unscn.org/files/Publications/RWNS6/report/SCN_report.pdf. Last accessed April 2022
  7. American Thyroid Association. Iodine deficiency. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/IodineDeficiency_brochure.pdf. Last accessed April 2022
  8. Zimmermann M. Low iodine intakes in weaning infants. IDD Newsletter 2010; 38: 1–3. Available at http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.187.3644&rep=rep1&type=pdf. Last Accessed April 2022
  9. American Thyroid Association. American Thyroid Association (ATA) issues statement on the potential risks of excess iodine ingestion and exposure. Available at http://www.thyroid.org/american-thyroid-association-ata-issues-statement-on-the-potential-risks-of-excess-iodine-ingestion-and-exposure/. Last accessed April 2022
  10. Conselho Federal de Nutricionistas. OMS recomenda limites de consumo de sal para crianças. Available at https://www.cfn.org.br/index.php/nutricao-na-midia/legacy-1320/. Last accessed April 2022
  11. World Health Organization. Is it true that lack of iodine really causes brain damage? Available at http://www.who.int/features/qa/17/en/. Last accessed April 2022
  12. Qian M, Wang D, Watkins WE et al. The effects of iodine on intelligence in children: a meta-analysis of studies conducted in China. Asia Pac J Clin Nutr 2005; 14: 32–42.

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022

Sobre Hipertireoidismo

abril 7th, 2022 | admin |

O hipertireoidismo, ou uma tireoide excessivamente ativa, ocorre quando a glândula produz e libera muitos hormônios no fluxo sanguíneo, acelerando o metabolismo do corpo.1 O hipertireoidismo tende a ocorrer em famílias, sendo mais frequentemente em mulheres jovens.1 O que preocupa é que pouco se sabe sobre o motivo de indivíduos específicos apresentarem esta condição.1


Se você sofre de hipertireoidismo, é provável que você perca peso, mesmo que você coma normalmente ou até mais do que antes.1 Você também pode apresentar batimentos cardíacos acelerados.1

Sintomas chave de hipertireoidismo

Observe os seguintes sintomas:1,2

É importante que os sintomas do hipertireoidismo sejam tratados, uma vez que complicações sérias podem ocorrer. Além disso, o hipertireoidismo aumenta o risco de osteoporose (perda de massa óssea) e fraturas e em mulheres que passaram pela menopausa o risco é ainda maior.4

Os sintomas isolados não indicam confiavelmente a presença de hipertireoidismo – exames físicos e testes sanguíneos são necessários.

Quem corre esse risco?

Diagnosticando a disfunção da tireoide

Como os hormônios da tireoide afetam o seu coração

O coração é um alvo importante dos hormônios da tireoide. Qualquer mudança em seus níveis pode causar reações no coração.

Uma quantia excessiva de hormônios da tireoide, como resultado de uma tireoide excessivamente ativa (hipertireoidismo), pode causar:8

Sem tratamento, uma tireoide com atividade insuficiente ou excessiva irá piorar ou acelerar quaisquer doenças cardíacas prévias ou ainda causar novas condições.

O hipertireoidismo leve afeta o coração dos idosos

O hipertireoidismo leve pode ser observado em 0,7% a 12,4% da população.9 Pacientes com uma tireoide hiperativa são atribuídos a duas categorias: pacientes com valores de TSH baixos, porém detectáveis, e pacientes com valores de TSH não detectáveis.10 Pacientes com TSH não detectável correm um risco maior de desenvolver problemas cardíacos como fibrilação atrial, que é uma arritmia com batimentos cardíacos caóticos causando uma circulação sanguínea insuficiente. Isto é observado mais frequentemente em idosos com doenças cardíacas pré-existentes ou de diagnóstico tardio.9

Diretrizes dos EUA recomendam que pacientes com mais de 60 anos e com valores de TSH não detectáveis sejam tratados.10 Pacientes mais jovens sem sintomas devem ser monitorados cuidadosamente.10

  1. American Thyroid Association. Hyperthyroidism. 2014. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/ata-hyperthyroidism-brochure.pdf. Last accessed April 2022
  2. EndocrineWeb. Hyperthyroidism symptoms. Available at https://www.endocrineweb.com/conditions/hyperthyroidism/hyperthyroidism-symptoms. Last accessed April 2022
  3. American Thyroid Association. Clinical thyroidology for the public: hyperthyroidism. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/publications/ctfp/volume7/issue8/ct_public_v78_5_6.pdf. Last accessed April 2022
  4. British Thyroid Foundation. Thyroid disorders and osteoporosis. Available at http://www.btf-thyroid.org/information/leaflets/30-thyroid-disorders-and-osteoporosis-guide. Last accessed April 2022
  5. Everyday Health. Are you at risk for thyroid disease?. Available at http://www.everydayhealth.com/thyroid-conditions/evaluating-your-thyroid-disease-risk.aspx. Last accessed April 2022
  6. Patient. Hyperthyroidism. Available at http://patient.info/doctor/hyperthyroidism. Last accessed April 2022
  7. NHS Choices. Underactive thyroid (hypothyroidism) — treatment. Available at http://www.nhs.uk/Conditions/Thyroid-under-active/Pages/Treatment.aspx. Last accessed April 2022
  8. Thyroid Foundation of Canada. The heart and the thyroid gland. Available at https://thyroid.ca/resource-material/information-on-thyroid-disease/hyperthyroidism-thyrotoxicosis/. Last accessed April 2022
  9. Biondi B, Cooper DS. The clinical significance of subclinical thyroid dysfunction. Endocr Rev 2008; 29: 76–131.
  10. Bahn RS, Burch HB, Cooper DS et al. Hyperthyroidism and other causes of thyrotoxicosis: management guidelines of the American Thyroid Association and American Association of Clinical Endocrinologists. Endocr Pract 2011; 17: 456–520

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022

Sobre Hipotireoidismo

abril 7th, 2022 | admin |

Hipotireoidismo, ou glândula da tireoide com atividade insuficiente, é uma condição comum.1 Ela ocorre quando a glândula da tireoide não produz hormônios suficientes. Esta produção insuficiente de hormônios desacelera o metabolismo do corpo, fazendo com que os pacientes sintam frio, cansaço e depressão.2 Se você sofre de hipotireoidismo, é provável que você perceba que ganhou peso, mesmo com alimentação saudável e  exercícios regulares.1


Sintomas chave de hipotireoidismo

Os sintomas de hipotireoidismo são desagradáveis e podem afetar a autoestima, o trabalho e a vida pessoal de um indivíduo.1-4

Os sintomas incluem:

Sem tratamento, o hipotireoidismo pode causar sintomas mais graves e até mesmo apresentar risco de morte. Complicações graves do hipotireoidismo incluem:

Quem corre esse risco?

Diagnosticando a disfunção da tireoide

Muitas pessoas continuam sem ser diagnosticadas com problemas de tireoide e sofrem por muito tempo com seus sintomas confundidos com os de outras condições.. A disfunção de tireoide pode ser confirmada pelo médico por meio de um exame de sangue simples.6

Se você se preocupa com a possibilidade de sofrer com problemas da tireoide, discuta o assunto com seu médico. Experimente ainda nosso verificador de sintomas de distúrbios de tireoide.

Como tratar o hipotireoidismo

O tratamento de disfunção de tireoide é simples, seguro e eficaz.6 Uma vez que não há cura para o hipotireoidismo, o objetivo do tratamento é repor os hormônios da tireoide que faltam no corpo.6 A medicação apropriada, tomada diariamente, permite que pacientes vivam uma vida sem sintomas.6

Se você foi diagnosticado com hipotireoidismo, é importante lembrar que o tratamento é um compromisso para a vida toda e que a medicação deve ser tomada todos os dias, mesmo com os sintomas sob controle.6 Isto pode parecer desafiador, mas assumir o controle da sua condição e seguir a sua medicação deve garantir que você viva sem sintomas.6 É aconselhável consultar seu médico com mais frequência caso ocorra alguma mudança na sua condição.

Como os hormônios da tireoide afetam o seu coração

O coração é um alvo importante dos hormônios da tireoide. Uma quantia baixa desses hormônios  por conta de uma tireoide insuficientemente ativa (hipotireoidismo) pode causar níveis elevados de colesterol total e triglicérides7.

Até mesmo o hipotireoidismo leve piora doenças cardíacas

O hipotireoidismo leve afeta até 20% da população e é mais comum em mulheres do que em homens.8 Pessoas mais velhas são mais propensas a sofrer com uma glândula da tireoide  insuficientemente ativa.6 Se você tem doenças cardíacas e hipotireoidismo, mesmo que leve, é vital que a sua tireoide seja retornada à sua função normal. A presença de ambas as doenças é associada ao risco elevado de morte por problemas do coração.9

  1. EndocrineWeb. What is Hypothyroidism? Available at https://www.endocrineweb.com/conditions/hypothyroidism. Last accessed April 2022
  2. American Thyroid Association. Hypothyroidism. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/Hypo_brochure.pdf. Last accessed April 2022
  3. British Thyroid Foundation. Psychological symptoms and thyroid disorders. Available at http://www.btf-thyroid.org/information/leaflets/37-psychological-symptoms-guide. Last accessed April 2022
  4. Poppe K, Velkeniers B, Glinoer D. The role of thyroid autoimmunity in fertility and pregnancy. Nat Clin Pract Endocrinol Metab 2008; 4: 394–405.
  5. Tan ZS, Beiser A, Vasan RS et al. Thyroid function and the risk of Alzheimer disease: the Framingham Study. Arch Intern Med 2008; 168: 1514–1520.
  6. American Thyroid Association. Hypothyroidism. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/Hypothyroidism_web_booklet.pdf. Last accessed April 2022
  7. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. Hypothyroidism and Heart Disease. Available at https://academic.oup.com/jcem/article/98/12/39A/2833277. Last accessed April 2022
  8. Razvi S, Weaver JU, Pearce SH. Subclinical thyroid disorders: significance and clinical impact. J Clin Pathol 2010; 63: 379–386.
  9. Iervasi G, Molinaro S, Landi P et al. Association between increased mortality and mild thyroid dysfunction in cardiac patients. Arch Intern Med 2007; 167: 1526–1532.

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022

Sobre o aumento do volume da glândula e nódulos

abril 7th, 2022 | admin |

A falta de iodo na dieta é a principal causa de tireoide aumentada, também  conhecida como bócio.1 De fato, estima-se que 0,7 bilhão de pessoas no mundo sejam afetadas por uma deficiência de iodo.2


Como reconhecer o bócio

O bócio se forma quando a tireoide tenta compensar a deficiência de iodo e a produção baixa e/ou falha de hormônios da tireoide. Neste processo, ela gradualmente cresce a partir do seu tamanho regular.1

Uma pessoa com uma tireoide muito aumentada pode ter problemas para engolir e respirar.3 A Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos  recomenda o chamado “teste do pescoço” para ajudar pessoas a reconhecer uma tireoide possivelmente aumentada.4

Porém, uma simples classificação visual pode ser inexata – principalmente devido à possibilidade de ocorrerem erros humanos e variações na anatomia individual (por exemplo, um pescoço musculoso pode ocultar uma tireoide aumentada) – e não deve servir como substituto de um diagnóstico específico feito por um médico.

Como reconhecer um nódulo

Nódulos da tireoide são aumentos anormais de tecido na glândula.5 Algumas pessoas desenvolvem apenas um nódulo, enquanto outras desenvolvem muitos.5 Eles são relativamente comuns, com cerca de metade da população do mundo apresentando ao menos um nódulo até os 60 anos.5 Assim como a formação do bócio, a formação de nódulos pode ser causada por insuficiência de iodo na dieta.6

Nódulos de tireoide são classificados por exames como “quentes”, “mornos” ou “frios”. Se um nódulo não produzir iodo, ele aparecerá como “frio” no exame. Aqueles que produzem iodo serão mais escuros e são chamados de “quentes”. Aproximadamente 85% dos nódulos são frios, 10% são mornos e 5% são quentes. Destes, 85% dos nódulos frios são benignos (não cancerosos), bem como 90% e 95% dos nódulos mornos e quentes, respectivamente.7

Inicialmente, a maioria dos nódulos de tireoide não causa sintomas notáveis.6 Eles costumam não ser descobertos até o próximo exame de rotina ou testes com imagem como exames de tomografia computadorizada (CT) ou ultrassom do pescoço realizados por motivos não relacionados.6 Quando os nódulos da tireoide crescem demais, os seguintes sintomas podem ocorrer (embora isso seja um tanto raro):

Um médico deve ser consultado imediatamente ao surgirem dificuldades respiratórias.

Diagnóstico e tratamento

Após um exame físico simples realizado por um médico, uma amostra de sangue é retirada para determinar se há uma quantidade suficiente do hormônio TSH no fluxo sanguíneo.1 Este hormônio indica se a glândula da tireoide está funcionando normalmente. A ultrassonografia é realizada para determinar o tamanho real dos nódulos e da tireoide.1 Este exame é indolor. Outros métodos para examinar nódulos incluem um exame radioativo de iodo e uma biópsia com agulha fina.1

Como tratar bócio e nódulos?

Nem todo bócio ou nódulo exige tratamento.3 Dependendo do seu tipo e tamanho, seu desenvolvimento pode ser meramente observado regularmente. Em geral, há três tratamentos. A escolha de terapia depende do diagnóstico de cada paciente. O objetivo principal do tratamento é encolher a tireoide aumentada e os nódulos.

Tratamento com medicação

Para bócios e nódulos que ocorrem devido a uma deficiência de iodo, pode-se administrar uma suplementação deste mineral.1 Caso o bócio se deva à tireoidite de Hashimoto e você tenha hipotireoidismo, receberá medicação apropriada para restaurar seus níveis de hormônio ao normal.1 Quando os bócios e nódulos forem acompanhados por hipertireoidismo (por exemplo, com nódulos “quentes”), tratamentos adicionais serão prescritos.1

Radioiodoterapia

O radioiodo é administrado uma única vez de forma oral. A cápsula entra na glândula por meio do sangue, onde ele é armazenado – induzindo o encolhimento do tecido da tireoide devido à radiação de alcance curto.3

Cirurgia da tireoide

Se um nódulo de tireoide for detectado e for necessário tira-lo, o tratamento envolve a remoção de toda a glândula tireoide por meio de cirurgia. Além disso, a tireoide pode ser parcialmente ou totalmente removida se o bócio ou os nódulos causarem um desconforto grande. Após tal procedimento, o tratamento com substituição é necessário para repor a produção de hormônio tireoidiano.3

Independente da terapia específica – e para ajudar a impedir distúrbios da tireoide – garanta sempre o consumo suficiente de iodo em sua dieta.

  1. American Thyroid Association. Goiter. 2016 Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/Goiter_brochure.pdf. Last accessed April 2022
  2. United Nations. Sixth report on the world nutrition situation. Available at http://www.unscn.org/files/Publications/RWNS6/report/SCN_report.pdf. Last accessed April 2022
  3. EndocrineWeb. Goiters: abnormally large thyroid glands. Available at https://www.endocrineweb.com/conditions/goiters/goiters-abnormally-large-thyroid-glands. Last accessed April 2022
  4. American Association of Clinical Endocrinologists. Neck check. Available at http://www.thyroidawareness.com/neck-check. Last accessed April 2022
  5. EndocrineWeb. What Are Thyroid Nodules?. Available at https://www.endocrineweb.com/conditions/thyroid-nodules. Last accessed April 2022
  6. American Thyroid Association. Thyroid nodules. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/Nodules_brochure.pdf. Last accessed April 2022
  7. EndocrineWeb. Fine needle biopsy of thyroid nodules. Is it cancer or just a benign nodule? Available at https://www.endocrineweb.com/conditions/thyroid/fine-needle-biopsy-thyroid-nodules. Last accessed April 2022

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022

Sobre O Câncer De Tireoide

abril 7th, 2022 | admin |

Na maior parte do mundo, a incidência de câncer de tireoide aumentou ao longo das últimas décadas, mas a mortalidade relacionada está em declínio.1 As taxas de incidência em países de maior renda são dobradas em relação às de países de renda média ou baixa.1


Tipos de câncer de tireoide

Cânceres de tireoide são classificados de acordo com o tipo de câncer, seu tamanho e tendência de propagar.2 O câncer de tireoide costuma ser tratável e pode ser curado através de cirurgia e, se necessário, radioiodo.3 Há quatro tipos primários de câncer de tireoide:

O câncer de tireoide papilar é o tipo mais comum e corresponde a 70-80% dos casos, podendo ocorrer em qualquer idade. Este tumor apresenta crescimento lento e tem uma tendência a se espalhar para os linfonodos do pescoço.3

O câncer de tireoide folicular, compreende 10-15% de todos os cânceres de tireoide, também cresce lentamente e pode se espalhar para os linfonodos, fluxo sanguíneo e tecidos mais distantes, incluindo ossos e pulmões.3

O câncer de tireoide medular compreende 2% dos casos, 25% desses casos ocorre em famílias e está associado a outros tumores endócrinos . Portanto, familiares de um paciente com câncer de tireoide medular devem ser testados para identificar a presença de mutação genética.2,3

O câncer de tireoide anaplástico contabiliza menos de 2% dos casos e é o tipo mais agressivo, com menor chances de responder ao tratamento, . Este tumor cresce e se espalha rapidamente, portanto é de difícil tratamento.3

Como o câncer de tireoide é diagnosticado?

O câncer de tireoide costuma se desenvolver em caroços ou nódulos sem causar sintomas.3 Os nódulos costumam ser detectados incidentalmente, por exemplo, por CT ou ultrassonografia realizados por outros motivos.3 O exame da tireoide é realizado pelo ultrassom da tireoide.3 Um exame microscópico da amostra de tecido obtida por meio de biópsia aspirativa com agulha fina mostrará se há células cancerígenas e, caso haja um diagnóstico positivo, qual é tipo de câncer.3 Felizmente, menos de um a cada 10 nódulos correspondem a um caso de câncer.3

O diagnóstico do câncer de tireoide é um choque e costuma ser acompanhado por uma onda de emoções, como tristeza, medo, raiva e confusão. Saber mais sobre a sua condição e o atendimento médico disponível pode ajudá-lo a superar o seu medo e qualquer sensação de desamparo. Isso permite que você participe ativamente do processo de tratamento. A boa notícia é que o câncer de tireoide pode ser tratado e frequentemente é curado.

Tratamento do câncer de tireoide

De acordo com a Associação Americana de Tireoide, o tratamento primário para todas as formas de câncer de tireoide é a remoção parcial ou total da glândula por cirurgia.3 Se o tumor já houver se espalhado para os linfonodos no pescoço ou no peito, estes linfonodos também deverão ser removidos.3 Após a remoção da tireoide, você receberá medicação apropriada, que deverá ser feita permanentemente.3

Caso o tumor seja grande ou tenha se alastrado para outros tecidos, o seu médico provavelmente receitará a terapia de radioiodo (RAI) após a cirurgia.3 A RAI irá matar as células cancerígenas remanescentes, mesmo aquelas em tecidos distantes.3 Ao preparar-se para este tratamento, você se tornará hipotireoidico pela interrupção do tratamento ou com a injeção de TSH.3 Quanto menos iodo houver em seu corpo, mais eficaz será o tratamento.3 Você deve falar com o seu médico sobre como equilibrar os riscos potenciais e os benefícios deste tratamento.

Em pacientes com estágios avançados de câncer de tireoide, a cirurgia e o tratamento com RAI podem não funcionar. Seu médico poderá propor radioterapia, quimioterapia ou uma combinação de ambos.3

Após o tratamento com sucesso, exames de acompanhamento periódico são necessários para verificar se o câncer permaneceu estável. Estas consultas incluirão exames físicos e de ultrassonografia do pescoço, além de exames de sangue. Os exames de sangue mostrarão se você está recebendo a quantia correta de tiroxina e irão monitorar a presença de tireoglobulina. Após a remoção da tireoide e o tratamento com RAI, seu corpo não deve mais produzir a proteína tiroglobulina (proteína produzida somente na tireoide). Caso ela apareça em um exame de sangue, é provável que o seu câncer de tireoide tenha voltado.3

Observação: De acordo com a Associação Americana de Tireoide, pacientes com câncer de tireoide diferenciado e papilífero com menos de 45 anos de idade com um tumor ou câncer pequeno limitado a glândula de tireoide têm uma taxa de recuperação excelente.3 Para estes pacientes, a taxa de sobrevivência em 10 anos é de 100%.3 Para todos os pacientes de câncer de tireoide diagnosticados nos EUA entre 2006 e 2012, uma taxa de sobrevivência em 5 anos de 98,1% foi relatada.4

  1. La Vecchi C, Malvezzi M, Bosetti C et al. Thyroid cancer mortality and incidence: a global overview. Int J Cancer 2015; 136: 2187–2195.
  2. National Cancer Institute. Thyroid cancer treatment (PDQ®) — patient version. Available at https://www.cancer.gov/types/thyroid/patient/thyroid-treatment-pdq#section/_27. Last accessed April 2022
  3. American Thyroid Association. Thyroid cancer (papillary and follicular). Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/ThyroidCancer_brochure.pdf. Last accessed April 2022
  4. National Cancer Institute. Cancer stat facts: thyroid cancer. Available at http://seer.cancer.gov/statfacts/html/thyro.html. Last accessed April 2022

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022

Sobre A Tireoidite De Hashimoto

abril 7th, 2022 | admin |

A tireoidite de Hashimoto é uma doença autoimune na qual o sistema imunológico do corpo se volta contra si e ataca a tireoide.1 Isto leva à destruição gradual da glândula da tireoide a longo prazo, causando níveis insuficientes de hormônios da tireoide.1 Conforme a doença progride, a glândula pode produzir poucos hormônios, o que resulta em hipotireoidismo.1


Quem corre esse risco?

A tireoidite de Hashimoto pode afetar qualquer indivíduo de qualquer idade, mas ocorre frequentemente em mulheres na meia idade e em pessoas com histórico familiar de distúrbios de tireoide.1 O motivo pelo qual o sistema imunológico ataca a glândula ainda não é conhecido, mas possíveis fatores de risco incluem infecções virais ou bacterianas, ou ainda ter outra doença autoimune como diabetes tipo 1.2

Sintomas da doença de Hashimoto

A doença pode ter uma demora no diagnóstico e durante o seu curso, a tireoide pode se esgotar, fazendo com que o paciente desenvolva hipotireoidismo, com sintomas como:1-3

Como a doença de Hashimoto é diagnosticada

Pessoas com doença de Hashimoto costumam apresentar sintomas de hipotireoidismo, às vezes acompanhados por bócio.3 Os sintomas isolados não são prova confiável desta doença. Exames de sangue são necessários para um diagnóstico válido. Se você tiver altos níveis de TSH no sangue e baixos níveis de T4 livre (tiroxina circulando livremente no sangue), é provável que você tenha hipotireoidismo.4 Anticorpos contra peroxidase de tireoide, uma enzima envolvida na produção de hormônios desta glândula, geralmente são elevados em casos de tireoidite de Hashimoto.3

Tratamento da doença

Se você for diagnosticado com doença de Hashimoto, seu médico receitará um hormônio substituto de tiroxina para tratar esta condição.1 A maioria dos pacientes precisará de tratamento vitalício com medicação apropriada.3 Encontrar a dose adequada, especialmente no início, pode exigir testes com TSH a cada 6-8 semanas após qualquer ajuste de dose até que a dose correta seja determinada. Depois disso, o monitoramento do TSH uma vez por ano poderá ser o suficiente.3

Websites úteis

http://www.thyroid.org

Patient information on thyroid health published by the American Thyroid Association.

http://www.thyroid-fed.org

Patient information from Thyroid Federation International.

http://www.merckserono.de

Therapiegebiete/Endokrinologische Erkrankungen/Schiddrúse/Broschüren “Ihr Hashimoto Ratgeber” und “Ihr Basedow Ratgeber”

  1. Medline Plus. Chronic thyroiditis (Hashimoto’s disease). Available at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000371.htm. Last accessed April 2022
  2. Mayo Clinic. Hashimoto’s disease. Symptoms and causes. Available at http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/hashimotos-disease/symptoms-causes/dxc-20269764. Last accessed April 2022
  3. American Thyroid Association. Hashimoto’s thyroiditis (lymphocytic thyroiditis). Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/Hashimoto_Thyroiditis.pdf. Last accessed April 2022
  4. British Thyroid Foundation. Thyroid function tests. Available at http://www.btf-thyroid.org/information/quick-guides/97-thyroid-function-tests. Last accessed April 2022.

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022

Sobre A Doença De Graves

abril 5th, 2022 | admin |

Como a tireoidite de Hashimoto, a doença de Graves é uma doença autoimune que leva a uma hiperatividade generalizada de toda a glândula tireoide.1 Entre 25 a 40% dos pacientes com doença de Graves demonstram sinais de uma oftalmopatia de Graves clinicamente relevante (inflamação e protuberância dos olhos).3 No entanto, a doença de Graves acompanhada por oftalmopatia de Graves moderada ou severa ocorre em menos de 5% dos pacientes.2


Quem corre esse risco?

Mulheres com menos de 40 anos são especialmente propensas a desenvolver a doença de Graves.3 Fumantes são mais propensos a apresentar e desenvolver esta condição e a ter problemas oculares do que não-fumantes.3

Sintomas da doença de Graves

A doença pode não ser identificada por bastante tempo, mas você pode ter algum dos seguintes sintomas:1,4

Sintomas da oftalmopatia de Graves incluem1:

Diagnosticando a doença de Graves

Seu médico não consegue saber se você tem ou não a doença de Graves somente pelos sintomas. Exames físicos e de sangue são necessários para um diagnóstico definido.1 Os indicadores incluem níveis baixos de TSH e níveis elevados de tiroxina livre.5 Para determinar a extensão do seu hipertireoidismo, um teste com triiodotironina também será realizado. Se hipertireoidismo, glândula tireoide aumentada e problemas oculares descritos acima coexistem, o diagnóstico de doença de Graves parece auto-evidente.5

Tratamento da doença de Graves

Seu médico discutirá com você as melhores opções de tratamento para impedir que a tireoide produza hormônios em excesso.

As últimas duas opções podem provocar hipotireoidismo a longo prazo.5 Seus níveis de hormônio da tireoide serão restaurados ao normal com a substituição de tiroxina.1 Se você sofre com sintomas da doença de Graves (como batimentos cardíacos acelerados, ansiedade, dificuldade para dormir e perda de peso), seu médico pode receitar beta-bloqueadores temporariamente, o que trará um bem-estar a curto prazo.4,5 Consultas regulares garantem o sucesso prolongado do tratamento.

Websites úteis

http://www.thyroid.org

Informações ao paciente sobre a saúde da tireoide publicadas pela Associação Americana de Tireoide.

 www.thyroid-fed.org

Informações ao paciente pela Federação Internacional da Tireoide.

www.merckserono.de

Áreas terapêuticas, doenças endócrinas, glândula tireoide, brochuras “Seu guia Hashimoto” e “Seu guia Basedow”.

  1. American Thyroid Association. Graves’ disease. Available at http://www.thyroid.org/graves-disease/. Last accessed April 2022
  2. Daumerie C. Epidemiology. In: Wiersinga WM, Kahaly GJ (eds): Graves’ Orbitopathy: A Multidisciplinary Approach — Questions and Answers. Basel: Karger, 2010; 33–39.
  3. Mayo Clinic. Graves’ disease. Risk factors. Available at http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/graves-disease/basics/risk-factors/con-20025811. Last accessed April 2022
  4. American Thyroid Association. Hyperthyroidism. Available at http://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/ata-hyperthyroidism-brochure.pdf. Last accessed April 2022
  5. Ginsberg J. Diagnosis and management of Graves’ disease. CMAJ 2003; 168: 575–585.

BR-NONE-00027/Abril-2022

Data de elaboração: Março 2018. Data da revisão: Abril 2022